You are currently browsing the category archive for the ‘Gestão’ category.

A Organização dos Estados Ibero-Americanos-OEI, A Escola Nacional de Administração (ENA) da França e a Fundação Universa realizam nó próximo dia 20 de março de 2012, videoconferência para os países Ibero-Americanos com Bernard Bocault, diretor da École Nationale de Administration da França (ENA).

Tema da Conferência: Os desafios da capacitação de funcionários do setor público no século XXI

A participação é gratuita e será realizada no auditório Niemeyer, na Fundação Universa-SGAN 609, avenida L2 Norte, Brasília-DF. A transmissão será de 10h às 12h.

INSCRIÇÃO PELO EMAIL: oeibr@oei.org.br

Será emitido aos participantes certificado de extensão universitária.

- por Joel Solon Farias de Azevedo*

Saiba quais são as principais tendências para a Gestão de Projetos em 2012

1. Equipes virtuais

Cada vez mais as pessoas vão trabalhar a distancia, de forma remota, de onde estiverem. As tecnologias disponíveis já permitem isto há um  bom tempo, mas as pessoas ainda resistem um pouco em usá-las. Ao mesmo tempo em que economizamos tempo e dinheiro reduzindo os deslocamentos, ganhamos mais tempo para o trabalho e para o lazer. Outra grande vantagem do trabalho remoto é utilizar as pessoas certas e seus talentos, estejam onde estiver, e não apenas aquelas que estão disponíveis localmente, normalmente deficitárias em relação às competências necessárias aos projetos. Assim começamos a resolver o problema da autodesignação, ou das equipes naturais em projetos: já estão ali mesmo, então serão utilizados de qualquer forma, e sabemos que isto é péssimo.

2. Incorporação das redes sociais aos projetos

As pessoas e as equipes de projeto já se relacionam e muito nas redes sociais, e com o tempo passarão a ter o mesmo comportamento em relação aos projetos em que atuam. Traduzindo, ainda são muito formais na interação e na comunicação dentro dos projetos e tenderão a serem mais atuantes nas discussões dos temas relativos aos projetos, como já costumam fazer no Facebook e no Twitter. E como todo investimento na melhoria da comunicação em projetos dá muito resultado, nossos projetos vão melhorar bastante.

3. Mais orientação ao valor adicionado pelos projetos, e menos à execução pura e simples

Estamos deixando pra trás a restrição tripla da terceira edição do PMBOK, que bom. À medida que a comunicação melhora dentro da equipe e inclui todas as partes interessadas fica mais fácil entender e definir com mais precisão o que exatamente se espera de um projeto em termos de valor, colocando importância secundaria para as entregas do projeto. Claro que a execução continua importante, mas muito mais importante é resolver o problema que justificou a criação do projeto, independentemente das entregas ocorrerem dentro do prazo e do orçamento.

4. E os escritórios de projetos – PMOs serão cada ver mais necessários e valorizados

Todos já comprovamos o valor dos escritórios de projetos, na medida em que contribuem para o alinhamento estratégico dos projetos, a melhoria na alocação dos recursos e consequentemente a redução nos prazos de execução e nos custos. Acontece que os PMOs ainda tem muito resultado potencial a explorar investindo na gestão do conhecimento, na formação de gerentes de projeto e de portfolio e na disseminação dos conhecimentos de gestão nas organizações, por meio de redes sociais internas.

* Joel Solon Farias de Azevedo é PMP e professor da Pós-Graduação da Universa Escola de Gestão.

Twitter da Fundação Universa

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: